Perda auditiva aumenta os riscos de queda?

Depressão, demência, entre outras doenças, estão relacionadas com a perda auditiva, mas você sabia que a perda de audição também está ligada ao risco de queda?

Um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, constatou que a perda auditiva está associada a um maior risco de queda.

A pesquisa, realizada com base nos dados do National Health and Nutricion Examination Survey, descobriu que pessoas com perda auditiva de grau leve eram quase três vezes mais propensas a ter um histórico de queda do que aquelas sem perda auditiva.

Além disso, o estudo também constatou que a cada 10 decibéis adicionais de perda auditiva, havia um risco 1,4 vezes maior de queda, ou seja, quanto maior a perda auditiva, maior o risco de quedas.

Por que a perda auditiva está relacionada às quedas?

Os pesquisadores explicaram que pessoas com deficiência auditiva tem dificuldade de percepção do ambiente, o que as tornam mais propensas a quedas.

Outro fator que explica os resultados do estudo é que a perda auditiva acaba sobrecarregando o cérebro, pois ao tentar compensar a deficiência, as áreas cognitivas ficam prejudicadas.  As atividades como andar e manter o equilíbrio podem parecer simples, mas demandam muito cognitivamente. Desta forma com as áreas cognitivas afetadas e sobrecarregadas devido à perda de audição, a manutenção do equilíbrio e do caminhar tornam-se prejudicadas, causando possíveis quedas.

 O aparelho auditivo pode ajudar?

Os aparelhos auditivos são de extrema importância para evitar os riscos de queda relacionados à perda da audição. Pois ao amplificar as ondas sonoras, proporcionam que as pessoas escutem e percebam melhor o ambiente ao seu redor, não sobrecarregando as áreas cognitivas, podendo assim desempenhar as atividades motoras e o equilíbrio sem prejuízos.

Um estudo realizado pela Universidade de Medicina de St. Louis, em  Washington, nos Estados Unidos, apontou que idosos com problemas auditivos apresentaram melhor equilíbrio com o uso de aparelho auditivo em ambos os ouvidos. O resultado dos testes mostrou ainda que as pessoas analisadas conseguiram conservar seu equilíbrio por um período mais longo quando seus aparelhos auditivos estavam ligados.

Para desfrutar de todos os benefícios, é fundamental o uso diário do aparelho auditivo, além de ter paciência e determinação durante o processo de adaptação dos aparelhos auditivos, que pode levar alguns meses.

Os próprios pesquisadores da Universidade Johns Hopkins reforçam a importância do uso de aparelhos auditivos no tratamento da perda da audição e, consequentemente, na prevenção de quedas.

Por isso, é muito importante escolher o melhor aparelho auditivo, que se adeque às suas necessidades do dia a dia. Além disso, também é imprescindível contar com uma equipe com fonoaudiólogo que possa te auxiliar e acompanhar em todo o processo de adaptação.

Uma boa avaliação e uma orientação adequada permitem que todas as pessoas que sofrem com perda auditiva possam usufruir dos benefícios que estes dispositivos proporcionam. Portanto, não perca tempo e fale conosco, temos uma equipe preparada para atende-lo e tornar este momento inesquecível.

         Veja também

O perigo da automedicação: medicamentos podem causar perda auditiva

O perigo da automedicação: medicamentos podem causar perda auditiva

Sempre vemos nos noticiários reportagens falando sobre os perigos da automedicação, já que os medicamentos estão entre as principais causas de intoxicação no Brasil e podem ter efeitos colaterais graves, dentre eles a perda auditiva temporária ou até mesmo permanente....

×

Olá! Como posso te ajudar?

A mensagem será iniciada pelo WhatsApp
ou envie um email para: contato@sonidoaudicao.com.br

× Agende seu teste