Entenda como a neuroplasticidade pode ajudar pessoas com perda auditiva

A neuroplasticidade, é o que permite que o cérebro seja adaptável a mudanças, atuando de forma maleável. A neuroplasticidade é fundamental, quando pensamos na perda auditiva e principalmente no processo de adaptação de aparelhos auditivos. 

 Quer entender melhor o que é a neuroplasticidade e como ela pode auxiliar os deficientes auditivos? Continue acompanhando o post.

O que é a neuroplasticidade

A neuroplasticidade é a capacidade do nosso cérebro de se adaptar às mudanças conforme nossas necessidades. Isso ocorre por meio da reorganização dos neurônios de acordo com mudanças ambientais, sociais e físicas, como privações e até lesões.

Perda auditiva como questão cerebral

Antes de mais nada, é importante pensar na perda auditiva como uma questão cerebral e não apenas vinculada ao órgão auditivo.

Quando a pessoa tem perda auditiva, o cérebro tende a diminuir as partes relacionadas à audição e pedir auxílio a outras áreas, as quais começam a processar impulsos relacionados ao som, substituindo ou compensando aquelas que diminuíram e que seriam usadas para a audição.

Mesmo que o grau de perda auditiva seja leve, isso pode causar alterações secundárias no cérebro.

Por isso, é importante realizar testes e exames, e iniciar o uso do aparelho auditivo assim que a perda for diagnosticada. A utilização do mesmo beneficia aspectos emocionais, sociais e intelectuais, refletindo de forma significativa na qualidade de vida. A rapidez nos processos auxilia a proteger a reorganização do cérebro, que pode acontecer com mais facilidade.

Como a neuroplasticidade pode ajudar quem tem perda auditiva

A neuroplasticidade permite que nosso cérebro aprenda e reaprenda constantemente. Quem sofre com perda auditiva pode contar com o treinamento auditivo, que consiste em fortalecer as redes neurais, resultando em uma audição mais eficiente.

Mesmo quem não sofre de perda auditiva pode se beneficiar do estímulo da neuroplasticidade. Há algumas dicas simples, que podem ser seguidas por todos. Confira:

  • Faça seu cérebro pensar: vale, por exemplo, mudar sua rota até o trabalho, tomar banho de olhos fechados com o objetivo de estimular outros sentidos, fazer com a mão esquerda tudo aquilo que se está acostumado a fazer com a direita. Todas as atividades que afetam sua zona de conforto e fazem seu cérebro trabalhar são bem-vindas!
  • Cuide de seu bem estar: ter uma alimentação saudável e praticar exercícios físicos é só o começo. Também é válido frequentar ambientes que ofereçam tranquilidade ao corpo e à mente.

Ficou interessado em saber mais sobre a neuroplasticidade e como ela pode ajudar quem tem perda auditiva? Agende uma avaliação com nossa equipe e tire todas as suas dúvidas.

 

         Veja também

O perigo da automedicação: medicamentos podem causar perda auditiva

O perigo da automedicação: medicamentos podem causar perda auditiva

Sempre vemos nos noticiários reportagens falando sobre os perigos da automedicação, já que os medicamentos estão entre as principais causas de intoxicação no Brasil e podem ter efeitos colaterais graves, dentre eles a perda auditiva temporária ou até mesmo permanente....

×

Olá! Como posso te ajudar?

A mensagem será iniciada pelo WhatsApp
ou envie um email para: contato@sonidoaudicao.com.br

× Agende seu teste