Conheça os principais exames que diagnosticam a perda auditiva

A deficiência auditiva pode surgir de diversas formas. Há pessoas que já nascem com o problema e outras que acabam sofrendo com dificuldades devido a situações que vão ocorrendo ao longo da vida como a exposição a sons muito altos, danos no sistema auditivo, envelhecimento, entre outros.

Por isso, há diversos tipos de exames que podem diagnosticar a perda auditiva em pessoas de todas as idades. Conheça abaixo quais são os principais deles:

Teste da orelhinha

É um tipo de exame que pode ser feito cerca de 24 horas após o nascimento do bebê, ainda na maternidade. Rápido e indolor, o teste consiste em inserir uma pequena sonda no conduto auditivo externo, não oferecendo nenhum risco ao bebê. O aparelho dispara um sinal e recebe de volta os resultados relativos à integridade das vias auditivas.

Caso o exame constate problemas na audição do bebê, o teste deve ser refeito porque alguns fatores como líquidos remanescentes do parto podem interferir nos resultados.

O diagnóstico precoce de uma deficiência auditiva congênita poderá proporcionar à criança o melhor tratamento e permitir que ela receba estímulos auditivos para vivenciar a aprendizagem pertinente a cada etapa de seu desenvolvimento.

Audiometria tonal

Este exame tem o objetivo de medir o nível mínimo de intensidade sonora percebida pelo paciente. É usado para detectar tipo e grau de surdez. Realizado em cabina acústica com fones de ouvido, o teste pode ser aplicado em crianças acima de três anos. Antes do exame, o médico deve avaliar se não há cera obstruindo os ouvidos ou algum outro tipo de problema que possa interferir.

Audiometria de alta frequência

Sua finalidade é mensurar o nível mínimo de intensidade sonora nas frequências de 10.000, 12.500 e 16.000Hz. Também é realizado em cabina acústica com fones calibrados para emitir sons extremamente agudos.

Aqui valem as mesmas recomendações citadas acima para serem seguidas antes da realização do exame.

Audiometria vocal

É o exame que vai avaliar a capacidade do paciente de detectar e entender os sons da fala. Também realizado em cabina acústica com fones de ouvido convencional, inclui as avaliações Limiar de Recepção de Fala e Índice de Reconhecimento de Fala. Também deve seguir as recomendações citadas nos dois itens anteriores.

Imitanciometria

Outro exame para diagnosticar a deficiência auditiva, inclui a Timpanometria, em que uma sonda é inserida dentro do sistema auditivo (como no teste da orelhinha) ao mesmo tempo em que são emitidas ondas sonoras. E também o reflexo acústico, quando para avaliar o reflexo estapediano são fornecidos sons semelhantes à audiometria tonal por meio de fone de ouvido.

Além destes, há diversos outros tipos de exames que podem diagnosticar a perda auditiva. Por isso, é importante consultar um médico otorrinolaringologista para ele indicar qual será o mais adequado para o seu problema.

Caso queira mais informações sobre deficiência auditiva, é só continuar acompanhando os posts do nosso blog ou então entrar em contato com alguém da nossa equipe.

         Veja também

O perigo da automedicação: medicamentos podem causar perda auditiva

O perigo da automedicação: medicamentos podem causar perda auditiva

Sempre vemos nos noticiários reportagens falando sobre os perigos da automedicação, já que os medicamentos estão entre as principais causas de intoxicação no Brasil e podem ter efeitos colaterais graves, dentre eles a perda auditiva temporária ou até mesmo permanente....

×

Olá! Como posso te ajudar?

A mensagem será iniciada pelo WhatsApp
ou envie um email para: contato@sonidoaudicao.com.br

× Agende seu teste